fbpx
Saída de Dívidas

10 Dicas Para Quitar as Dívidas e Dormir Melhor (Não Deixe a #9 de Fora)

By 23 de abril de 2019 No Comments

Você já passou por isso? Ou conhece alguém que não consegue quitar dívidas?

Você está preocupado, as contas vão chegar e você sabe que quando cair o salário vai ter que escolher qual conta pagar. E, mais uma vez, a escola do filho e a parcela de um dos empréstimos vai ficar atrasada.

É difícil até para dormir e se concentrar no trabalho. Esse ciclo parece que não acaba e você já tentou de tudo. Então, você entra em contato com o banco para fazer uma negociação e eles te oferecem uma ótima oportunidade de reduzir a parcela e ainda ficar com um dinheiro no bolso, você pega o troco e volta para casa. Ufa! Conseguiu se manter mais um mês.

O próximo? Ainda não sabemos, mas isso deixa para resolver depois.

Até quando essa situação vai permanecer desse jeito?

Todos sabemos que estar endividado não é uma situação confortável, é muito difícil manter uma atitude positiva em uma situação como essa. O pensamento fica indo e vindo “não consigo dormir”, “estou tão preocupado que meu desempenho no trabalho caiu”, “trabalho na contabilidade da empresa e não consigo nem manter meu orçamento familiar em dia”.

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) mostrou que o porcentual de famílias com dívidas endividadas é de 58,6%, sendo que 23,7% tem algum tipo de conta em atraso. Além disso, uma pessoa com nome sujo pode levar mais de um ano para limpar o seu nome no serasa.

Táticas Desesperadas Para Quitar Dívidas

Muitas vezes as famílias acham que já tentaram de tudo, mas o que acontece de verdade é que são ações pontuais sem uma estratégia ou um plano bem definido.

É o que eu chamo de TÁTICAS DESESPERADAS PARA QUITAR DÍVIDAS, e funciona mais ou menos como a figura abaixo.

 

Taticas Desesperadas Para Quitar Dívidas

Táticas Desesperadas Para Quitar Dívidas: discussões, esperar caducar, renegociar, diminuir juros, alongar dívidas, parcelamento, pega troco, feirão limpa nome, serasa, planilhas, consignado, etc.

Dessa forma, sem um planejamento eficiente o ato de quitar dívidas, que deveria se tornar um objetivo ou uma meta, vai criando uma bola de neve de um tamanho assustador, e que em muitos casos a pessoa não olha mais para quanto deve.

Se você faz parte do grupo de pessoas que não sabe por onde começar a se livrar das dívidas ou já tentou aplicar as táticas desesperadas para quitar as dívidas, continue lendo este artigo até o final para saber exatamente o que você precisa saber para eliminar as dívidas de uma vez por todas.

Além de dicas financeiras, vamos apresentar um método muito eficiente e que fará com que você volte a ter noites de sono tranquilas.

Por Que As Pessoas Se Endividam?

O fato é: não queremos nos enrolar. Não queremos ter problemas. E acabamos nos enrolando exatamente por tentar evitar problemas.

Entre muitos motivos do porquê as pessoas se endividam, mas principalmente são os três a seguir:

Vivemos Com O Salário Líquido E Nos Endividamos Pelo Salário Bruto

Salário bruto é o que você declara no imposto de renda, salário líquido é o que realmente cai na sua conta bancária. E por incrível que pareça muita gente ainda não sabe a diferença.

Então, vamos lá.

Quando o empregador paga nosso salário, ele paga um valor que chamamos de salário bruto, mas desse valor são descontadas algumas coisinhas como INSS, imposto de renda, FGTS, e não só isso mas também podem ter plano de saúde, contribuição um plano de previdência empresarial, vale-transporte, entre outras coisas.

A diferença entre o salário bruto e todos esses descontos é o salário líquido, o famoso dinheiro que cai na conta. É com ele que devemos fazer nossos planos.

Não se atentar à essa diferença gera um problema muito comum de falta de planejamento, pois vivemos acima de nossa capacidade. Pensamos que nossa renda é de R$10.000,00, mas o que cai na conta acaba sendo R$7.000,00.

Confundindo esses conceitos relevantes, vivemos nossa vida com nosso salário líquido e nos endividamos e fazemos planos pelo salário bruto. Então, entenda esses dois conceitos antes de tomar as decisões.

Por isso, é preciso ficar atento, os bancos calculam o endividamento pelo salário bruto de uma pessoa. Segundo a regra de mercado, uma pessoa com endividamento saudável está com 30% do salário bruto comprometido com parcelas, e nesse cálculo não são considerados os parcelamentos das compras do cartão de crédito.

Cuidado! Tudo isso pode ser uma baita armadilha se a pessoa não estiver atenta na hora de contratar ou renegociar um empréstimo.

Antecipar Sonhos e Guardar Dinheiro

Financiamento da casa

O financiamento de um imóvel é uma das maiores dívidas das famílias.

Pegar empréstimos e adquirir dívidas são uma das formas em que é possível antecipar sonhos. Isso acontece bastante com pessoas que financiam um bem ou adquirem um consórcio, com o intuito de ter uma casa ou um carro.

Se não feito com muito cuidado e planejamento pode virar uma baita dor de cabeça. Já tive cliente que perdeu o bem porque não conseguiu pagar as prestações, e uma coisa é certa, você não quer esse peso em sua vida.

Antes de entrar em um parcelamento, seja de um carro, de uma casa, uma viagem ou até uma festa, não só veja se o valor da parcela cabe no bolso, mas também que outros gastos serão impactados.

Além do mais, algumas pessoas se endividam porque não conseguem guardar dinheiro e financiar um bem parece ser uma forma forçada disso acontecer.
“Eu não sei guardar dinheiro, mas eu sei pagar boleto. Então, esse emprestimozinho não pode me fazer mal”

Mas existe um grande furo nesse pensamento, que é usar instrumento errado para um objetivo certo. Um analogia a isso é usar uma chave inglesa para martelar um prego, algo que um martelo faria facilmente você pode demorar muito mais, estragar sua ferramenta e sua parede.

Existem sim formas em que se endividar faz sentido, mas com o intuito de guardar dinheiro não é uma delas.

A Gente Se Engana

E por último, um controle financeiro inexistente pode trazer alguns problemas em nossas vidas, mas um controle financeiro incompleto pode trazer transtornos ainda maiores. O que significa incompleto?

Também por consequência de uma falta de organização e controle financeiro quando uma pessoa faz um controle em uma planilha por exemplo, ela coloca somente os maiores gastos, como aluguel, condomínio, IPTU, luz, gás, transporte e cartão de crédito. E acaba “esquecendo” de colocar os gastos que considera insignificantes ou não importantes.

O que acontece na prática, a pessoa ganha R$7.000,00, gasta R$5.000,00 nessas contas maiores e sobra R$2.000,00. Nessa conta simplificada, muitas vezes feita de cabeça, é possível colocar facilmente uma parcela de R$500 para a troca do carro. No entanto, o que acaba acontecendo é que existem outros gastos que aparecem no meio do caminho e esses R$500 se tornam um problemão para resolver.

Por isso, nós nos enganamos. Acreditamos e desejamos pagar todas as dívidas que fazemos, em raros casos eu vi que houve má índole da pessoa que contraiu o empréstimo, presumimos que a parcela cabe no bolso, contamos com o aumento que pode vir no final do mês ou no próximo ano.

Mas a realidade é outra. Então, como quitar as dívidas? Tenha um plano, que conto a seguir.

Como Quitar Dívidas Do Jeito Certo

“Finanças Pessoais é 80% hábito e 20% conhecimento”, Dave Ramsey

Listar Dividas E Fazer Um Planejamento

Listar todas as dívidas é um passo importante para começar a quitá-las.

Atrasar uma conta de vez em quando é natural e acontece muito. O problema aparece mesmo quando esta prática se repete todos os meses e foge do seu controle. Os juros aumentam o valor do boleto, as contas se acumulam e, para piorar, surge uma emergência na família e você não sabe mais o que fazer para resolver tudo.

Muitas vezes, acaba tendo que priorizar qual conta pagar e qual não pagar em um determinado mês.

Mas, é preciso ter calma! Primeiro, saiba que você não é o único a ter dívidas. Como foi falado, muitas pessoas enfrentam situações parecidas pelos mais diversos motivos. O mais importante a partir de agora é encontrar meios para quitar as suas dívidas e solucionar o problema.

Confira algumas dicas.

1) Pare De Usar As Táticas Desesperadas e Monte Um Plano Que Sua Família Consegue Seguir

Partir para a ação antes de montar um plano de saída de dívidas geralmente dá errado, lembre-se que a gente se engana. Achamos que estamos saindo das dívidas, mas elas voltam.

É como se tivéssemos uma corda no pescoço, que fica afrouxando e apertando o tempo todo. É difícil até pra dormir e render bem no trabalho.

Pare tudo o que você está fazendo para sair das dívidas, análise a situação friamente e pense: “há quanto tempo estou com dívidas?”. Se não tiver um plano e todos da família não estiverem comprados com a situação, será bem difícil esses empréstimos sumirem.

Não será tão fácil e provavelmente não será tão demorado quanto você pensa, mas vai valer a pena. E no final vamos entender tudo.

2) Conheça A Dimensão Do Problema

Por mais dolorido que seja avaliar o tamanho da sua dívida, é necessário fazer esse estudo. Anote tudo o que deve: valores, credores, prazos de pagamentos, tamanho dos juros, opções de pagamento. Tudo deve estar bem claro para que você tome as melhores decisões.

Aqui na consultoria, eu utilizo o que chamo do mapa de dívidas. É uma planilha completa que eu disponibilizei no meu e-book Como Fazer Um Planejamento Financeiro Eficiente para baixar, clique aqui.

Você pode deixar esse mapa colado na geladeira de casa ou dentro da porta do armário de roupas. Existem várias formas de se motivar a sair dessa situação.

3) Reúna a Família e Explique a Situação

Não adianta nada começar a aplicar um plano financeiro se toda a família não entender o porquê estar fazendo tudo isso.

Com o mapa de dívidas em mãos, vocês conseguirão discutir abertamente com todos os membros e para todos estejam de acordo com o plano e não se sintam lesados.

Afinal, vocês estão fazendo isso para ter uma vida melhor, sem dívidas, com mais dinheiro no bolso e fazendo muito mais coisas que lhes dão prazer.

É importante que cada membro seja responsável por alguma tarefa e policie um ao outro para que ninguém saia do combinado.

Os filhos também entram nesse plano de quitar as dívidas. Se muito pequenos, pode não fazer sentido mostrar os valores no mapa de dívidas, mas orientem que estão corrigindo erros que papai e mamãe fizeram, e por isso não terão presentes pelo próximo ano ou eles serão mais simples por exemplo. Nem os pais, nem as crianças.

Familia unida em um objetivo em comum

A família deve estar unida nesse objetivo de uma vida melhor.

4) Não Faça Novas Dívidas

Enquanto estiver fazendo o esforço para quitar as suas dívidas, evite criar outras novas.

Lembre-se de que o foco atual é corrigir a sua vida financeira. Fazer novas dívidas só vai piorar o problema e ainda vai lhe desviar do caminho traçado.

Assim que se dão conta do tamanho do problema, após fazer o mapa de dívidas. Muita gente fica travada sem saber o que fazer e quer sair renegociando os empréstimos achando que está solucionando o problema.

Nessa altura da situação, provavelmente você já tentou fazer isso e o problema não foi embora. Portanto, não faça dívidas novas. Renegociar é uma dívida nova.

5) Faça Dinheiro

Descubra alguma maneira honesta de conseguir algum dinheiro e se empenhe nisso. Por mais que você queira fazer cortes no seu orçamento logo de início, ainda pode não ser o suficiente para pagar os seus boletos. É hora de usar os seus dotes pessoais.

O que você pode fazer por alguém que renda algum dinheiro? Liste as suas habilidades, algum hobby que tenha atualmente ou que ficou deixado de lado por algum motivo. Talvez ele possa ser útil agora.

Outra maneira de fazer dinheiro é vender o que você não usa ou não quer mais. Certamente existe muita coisa na sua casa que você não usa mais ou não vai usar em um curto período de tempo.

Conte com a ajuda da sua rede para oferecer os seus “desapegos” aos seus amigos e conhecidos. Aqui vale tudo: vender roupa em brechó, livros no sebo, móveis que não são usados, brinquedo das crianças, enfim o famoso “Família Vende Tudo” funciona e ainda é muito usado.

6) Faça Um Orçamento Familiar Com Foco

Faça no caderno ou em uma planilha no computador um orçamento com toda as receitas e as despesas da casa. Identifique o que é básico e o que é supérfluo e defina o que é possível reduzir ou cortar. Saiba também quanto terá disponível para começar a quitar as dívidas.

Atenção! Muita gente que faz um orçamento corta logo de cara tudo que é lazer. Eu recomendo que você NÃO faça isso. Separe um dinheiro para poder curtir a vida e se distrair, com isso poderá renovar as energias e se manter positivo nesse período.

Neste momento, saiba que é preciso ser rigoroso e toda a família terá que apertar os freios em prol de um bem comum. Portanto, converse com todos e exponha a situação. É mais fácil fazer com que eles cooperem, deixando claro que o problema é da família.

7) Decida Quem Você Vai Pagar Primeiro

Identifique as dívidas mais urgentes, aquelas que não podem mais atrasar. Exemplo: o financiamento da casa, do carro e os cartões de crédito atrasados. Essas devem ser a sua prioridade.

Dentro do Mapa de Dívida que você construiu escolha a ordem de pagamento, pode ser em ordem das dívidas mais caras (com maiores juros) ou pelo menor saldo. O que importa é que siga a regra escolhida, faça chuva ou faça sol.

Vejo muitas famílias que diante de um imprevisto acabam congelando os pagamentos durante alguns meses e isso pode fazer com que você saia do rumo. Portanto, decida o que vai pagar, e coloque isso no orçamento.

8) Tenha Uma Pequena Reserva

Para saber como lidar com os imprevistos que vão acontecer, veja esse artigo. Uma pequena reserva é um dinheiro guardado para imprevistos.

Já pensou se quebra o seu carro ou sua casa precisa de uma pequena reforma? Como ficarão os pagamentos?

Ter uma pequena reserva de R$1000 pode diminuir muita dor de cabeça. Tenha como uma primeira meta juntar esse valor. Porém, a recomendação é que você mantenha no máximo 1 salário guardado enquanto tem dívidas.

Essa pequena reserva é para imprevistos, depois pensaremos em investir e construir patrimônio. Um problema por vez.

9) Comemore Cada Conquista

Comemorar cada conquista aumenta a motivação para continuar.

Comemore cada conquista para aumentar a motivação para continuar no planejamento.

É importante manter a cabeça e a motivação em ordem. Para isso, eu sempre recomendo que a cada conquista, pagamento total de uma dívida ou uma grande parte do valor seja feita uma pequena comemoração.

Aqui vale tudo, um jantar, abrir uma garrafa de vinho, assistir a um filme com direito a pipoca e refrigerante, a criatividade é de vocês.
Isso não só vai manter vocês focados na meta, mas também dará mais motivação e ânimo para continuarem focados nos pagamentos.

Para saber o valor a ser usado na comemoração, eu costumo dizer que se houve a quitação de um empréstimo com uma parcela de R$500, usem 50% desse valor, ou R$250 na comemoração. E, no próximo mês continuem usando esses R$500 para o pagamento da próxima dívida.

10) Pode Ser Necessário Cortar Algumas Coisas Importantes

Como já disse algumas vezes, não será um período fácil. Mas quanto mais rápido você se livrar das dívidas, melhor.

Portanto, pode ser que você tenha que cortar ou reduzir algo que lhe faça bem. Pode ser diminuir os gastos com comidas fora de casa, trabalhar alguns dias de casa e se não for possível reduzir com os custos de transporte, enfim, escolha um item por vez que será melhor cortar tudo diretamente.

Entenda que terá que fazer um esforço para aumentar a renda ou reduzir gastos, mas por um bom motivo. Tenha em mente que essa fase difícil terá data para acabar: justamente o dia do vencimento do seu último boleto.

Então, comece agora a aprender e a praticar todas as dicas listadas aqui para finalmente quitar as suas dívidas.

Gostou desse post? Então encaminhe para alguém que você gosta agora mesmo.